Mentor: recuperação da economia sepulta discurso do PSDB

Receita do governo Lula no combate à crise alia mais investimentos e juros menores; com política de arrocho, FHC quebrou o país três vezes, afirma petista

Brasília (28 de julho de 2009) – O deputado José Mentor (PT-SP) afirmou nesta terça-feira (28) que os sinais de franca recuperação da economia brasileira em meio à maior crise mundial pós-1929 sepulta de vez o discurso do PSDB contra o governo Lula. Conforme o parlamentar, enquanto os tucanos quebraram o país nas três crises que enfrentaram, a gestão petista está debelando a primeira crise que atravessa no comando do país, com uma receita diferente: queda dos juros e aumento dos investimentos.

Mentor se baseia em dados divulgados hoje pelo jornal Folha de S.Paulo mostrando que o país saiu da recessão em maio deste ano. A avaliação, segundo a reportagem, é dos bancos Bradesco e Itaú e corrobora vaticínio do próprio presidente Lula, que, no início das turbulências internacionais, disse que o país seria o último a entrar e o primeiro a sair da crise. De acordo com o Bradesco, os dados disponíveis até maio apontam crescimento de 1,7% do PIB brasileiro no segundo trimestre em comparação com os três primeiros meses do ano. Já a equipe do Itaú trabalha com uma alta de 2,3% do PIB na comparação entre maio e abril.

Com os dados, Mentor rechaçou a tese tucana de que o presidente Lula deu continuidade ao governo Fernando Henrique Cardoso. “O presidente fez exatamente o oposto da gestão FHC: preparou o país para crescer não para a crise; reduziu – e continua reduzindo – os juros e o capital estrangeiro continua a entrar no país, graças à confiança que ele inspira. O Planalto gastou e vem gastando com responsabilidade e investindo cada vez mais para ativar a economia e reduzir ao máximo os efeitos da crise internacional. Além disso, para desespero dos tucanos, está emprestando dinheiro para o FMI socorrer os países mais necessitados”, apontou o deputado.

Além desses dados, as taxas de juros de financiamento estão gradativamente voltando a níveis pré-crise, a Bovespa já atingiu neste ano valorização de 45,3% e opera acima dos 54 mil pontos. A tendência, conforme lembrou o parlamentar, está na contramão do que ocorria no governo FHC: a equipe tucana recorria ao arrocho como primeiro ato de combate à crise. “Os tucanos quebraram o país três vezes nas três crises que enfrentaram, aplicando a seguinte receita: 1) aumentar os juros para atrair capital estrangeiro; 2) cortar investimentos e despesas em nome da ‘necessária austeridade’; e 3) correr atrás do socorro do dinheiro do FMI”, comparou Mentor.

O parlamentar afirmou que os tucanos estão certos quando dizem que FHC e Lula administraram o capitalismo, mas destacou que foi a política adotada pela administração petista que levou ao enfrentamento adequado da crise. Ele citou alguns dos vários instrumentos que permitiram ao país viver um novo momento econômico. “O governo Lula fez o país crescer aumentando o salário mínimo, reajustando a aposentadoria, promovendo o programa Luz para Todos, o Prouni, a ampliação do financiamento da agricultura familiar e criando o Bolsa Família – um pouco de dinheiro para milhões de brasileiros. Quem começou comprando um pouco mais de feijão e mistura pôde comprar o eletrodoméstico, a máquina de costura e o seu próprio carro em suaves prestações”, analisou.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *